Dúvidas? Críticas? Sugestões? Envio de material? lilikaforever@gmail.com

domingo, 9 de maio de 2010

Homenagem ao dia das Mães

No dia em que Deus criou as mães (e já vinha virando dia e noite há seis dias), um anjo apareceu-lhe e disse:
- Por que esta criação está lhe deixando tão inquieto Senhor?
E o Senhor Deus respondeu-lhe:
- Você já leu as especificações desta encomenda? Ela tem que ser totalmente lavável, mas não pode ser de plástico. Deve ter 180 partes móveis e substituíveis, funcionar à base de café e sobras de comida. Ter um colo macio que sirva de travesseiro para as crianças. Um beijo que tenha o dom de curar qualquer coisa, desde um ferimento até as dores de uma paixão, e ainda ter seis pares de mãos.
O anjo balançou lentamente a cabeça e disse-lhe:
- Seis pares de mãos Senhor? - Parece impossível !?!
Mas o problema não é esse, falou o Senhor Deus - e os três pares de olhos que essa criatura tem que ter?
O anjo, num sobressalto, perguntou-lhe:
- E tem isso no modelo padrão?
O Senhor Deus assentiu:
- Um par de olhos para ver através de portas fechadas, para quando se perguntar o que as crianças estão fazendo lá dentro (embora ela já saiba); outro par na parte posterior da cabeça, para ver o que não deveria, mas precisa saber, e naturalmente os olhos normais, capazes de consolar uma criança em prantos, dizendo-lhe: - "Eu te compreendo e te amo! - sem dizer uma palavra.
E o anjo mais uma vez comenta-lhe:
- Senhor...já é hora de dormir. Amanhã é outro dia.
Mas o Senhor Deus explicou-lhe:
- Não posso, já está quase pronta. Já tenho um modelo que se cura sozinho quando adoece, que consegue alimentar uma família de seis pessoas com meio quilo de carne moída e consegue convencer uma criança de 9 anos a tomar banho...
O anjo rodeou vagarosamente o modelo e falou:
- É muito delicada Senhor!
Mas o Senhor Deus disse entusiasmado:
- Mas é muito resistente! Você não imagina o que esta pessoa pode fazer ou suportar!
O anjo, analisando melhor a criação, observa:
- Há um vazamento ali Senhor...
- Não é um simples vazamento, é uma lágrima! E esta serve para expressar alegrias, tristezas, dores, solidão, orgulho e outros sentimentos.
- Vós sois um gênio, Senhor! - disse o anjo entusiasmado com a criação.
- Mas, disse o Senhor, isso não fui eu que coloquei. Apareceu assim...
(autor: desconhecido)

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Cornos Regionais - Para rir e não seguir...

O PAULISTA: Encontra a mulher com o outro na cama e vai fazer terapia.
Afinal, o problema deve ser com ele.

O CARIOCA:
Encontra a mulher com o outro na cama, se junta a eles e se diverte.

O MINEIRO:
Encontra a mulher com o outro na cama, mata o homem e continua casado com a mulher, exatamente como manda a TFM, Tradicional Família Mineira.

O GAÚCHO:
Encontra a mulher com o outro na cama e, ao contrário do mineiro, mata a mulher fica com o marmanjo só pra ele.

O CATARINENSE:
Encontra a mulher com outro na cama e inventa outra festa alemã para beber todas e esquecer que é corno.

O CEARENSE:
Encontra a mulher com o outro na cama e, sendo o cabra da peste que é, mata os dois e arruma outra no dia seguinte.

O GOIANO:
Encontra a mulher com o outro na cama, entra em depressão, pega a viola e vai para rua à procura de outro corno pra montar mais uma dupla sertaneja.

O BAIANO:
Encontra a mulher com o outro na cama, vai sentar na sala até que os dois terminem o que estão fazendo, pra ele poder dormir um pouco.

O PARAIBANO:
Encontra a mulher com outro na cama e enche a destruidora de lar de porrada. Decepa o pênis do cabra da peste, salga e o pendura, pra fazer "carne de sol".

O BRASILIENSE:
Sempre que pega a mulher com outro na cama, de raiva vai para o Congresso e inventa mais um imposto.

sábado, 17 de abril de 2010

Reativação da Telebrás ainda enfrenta restrições no governo, admite Santanna

A indicação da Telebrás como gestora do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) ainda não está fechada, mas já há um entendimento dentro do governo dos riscos e vantagens para que isso aconteça. A informação é do secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Rogério Santanna. Segundo ele, a decisão final será do presidente Lula, que deverá ser anunciada em um prazo de 15 dias.

Santanna admitiu que na reunião de ontem sobre o PNBL, o representante do Tesouro Nacional apresentou algumas objeções à reativação da estatal e que algumas são legítimas, mas disse que também foram levantados os riscos e vantagens para a criação de uma nova empresa. Ele disse que ainda não sabe se a posição do governo é de que seria necessário sanear o passivo da empresa, avaliado em mais de R$ 200 milhões, antes de reativá-la. 

- Não posso responder isso pelo governo, mas eu posso, por exemplo fazer uma análise com base no balanço publicado pela Telebrás. Se olharem o balanço verão a análise do passivo está publicado no balanço e vão notar o quanto ela pagou nos últimos anos de indenização, de perdas judiciais. Embora ela tenha uma provisionamento de R$ 200 e tantos milhões, ela vem pagando R$ 1 milhão todos os anos. Então, é lícito pensar que essa série continue até que haja um episódio. Se mantida a tendência dos últimos dois anos, pode se intuir que deverá acontecer coisa similar. Isso pode mudar a partir de 2012, que tem o julgamento de uma causa de maior valor, que envolvem os fundos de pensão, que é coisa de R$ 160 milhões”, disse Santanna.

Questionado sobre a possibilidade da participação da Oi vir a inviabilizar a reativação da Telebrás, Santanna não quis responder. “Não depende de mim. A posição que defendo no governo é claramente conhecida. Eu sempre digo que em governo a gente sempre tem que ter opinião. Eu defendo uma opinião. Se ela vai ser adotada, ou aperfeiçoada, é parte do processo”, desconversou.

Para Santanna, o atraso na definição do PNBL, que estava prevista para acontecer ontem, se deveu à ausência do ministro da Fazenda, Guido Mantega, que poderia esclarecer melhor questões ligadas ao financiamento do plano. “Não sei o que o presidente Lula pensa sobre o assunto, não posso responder por ele que é quem coordena a reunião, mas eu senti na fala do presidente que ele sentiu a ausência do ministro Guido, que embora tenha sido representado pelo seu secretário-executivo e seus auxiliares. Então, ele suspendeu a reunião e pediu que a gente fizesse uma análise mais detalhada com o próprio ministro. O ministro do planejamento, a minsitra da Casa Civil e o grupo que está trabalhando nisso, já estão tentando esclarecer alguns pontos sem consenso. Mas a reunião avançou bastante”, avaliou.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Filme: Quincas Berro d'Água


Olá amigos, dia 13/04/2010 houve no Rio de Janeiro a pré-estréia do filme Quincas Berro d'Água, que foi feita uma seção exclusiva para os blogueiros, pois é amigos isso mesmo os blogueiros do Rio de Janeiro e claro eu fui uma das convidadas.

Eu já tinha lido o livro mais ver o filme foi muito melhor.

Bom amigos, vou deixar aqui para vocês o Trailer oficial do filme, vale a pena conferir.


Beijos Lilika Forever

Fundos setoriais não poderão ser contingenciados em 2011

A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que o governo tem que enviar ao Congresso até o início do segundo semestre, vai impedir o contingenciamento dos recursos dos diversos fundos setoriais do país no Orçamento do próximo ano. A determinação foi dada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante a reunião, na quinta-feira, 8/3, que discutiu o Plano Nacional de Banda Larga.

Apesar da questão ter sido tratada no âmbito do Fundo de Universalização das Telecomunicações (Fust)- pois uma das propostas do plano é utilizar o fluxo de caixa anual desses recursos na implantação da rede pública de internet - a ordem do presidente deve abranger os 16 fundos setoriais existentes.

O contingenciamento de recursos dos fundos tem sido uma prática corrente desde que eles foram criados, lá nos idos de 1999, mas, agora, o presidente teria dito que não pretende deixar esse legado para o sucessor. O governo Lula, no entanto, também se valeu da estratégia de separar esse dinheiro, que acaba sendo utilizado para o cumprimento das metas de superávit primário.

Lula teria dito que com o cenário econômico favorável, o superávit poderá ser alcançado pelo próprio crescimento do país. Assim, a LDO, que fixa os parâmetros para a discussão do Orçamento da União do ano seguinte, deve trazer mecanismos que impeçam o contingenciamento desses recursos a partir de 2011.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Moradores denunciam descaso da Prefeitura em São Gonçalo

A Diretora Keila Machado e a equipe do Portal Sinttel-Rio estiveram na casa de Nicole de Brito Rodrigues para mostrar a triste situação das pessoas que moram em São Gonçalo e foram atingidas pela chuva da semana passada. A funcionária da Contax mora na Rua Jaime Muniz no bairro Colubandê e contou como foi a experiência de ver sua casa com água quase no teto, móveis destruídos e o descaso da Prefeitura.

Na madrugada de quarta-feira, dia 7, Nicole teve sua casa inundada e para se proteger da chuva ficou com a família cerca de 16 horas no terraço. E hoje, quase uma semana depois da tragédia, ainda se pode ver a mancha que água da chuva deixou em aproximadamente 2 metros de altura.

Leia a entrevista com Luciana Ventura, outra funcionária da Contax que teve a casa interditada em São Gonçalo, por causa da tragédia.

A situação dos seus vizinhos é ainda pior. As ruas do bairro estão repletas de lixo, mau cheiro e muita lama. Além disso, falta água potável, materiais de limpeza, de higiene pessoal, comida, colchonete etc. Os moradores tentam se restabelecer através das doações e da solidariedade dos outros. Uma igreja próxima tem fornecido quentinha e uma lavanderia da região se ofereceu para lavar de graça as roupas dos moradores

Denúncias à Prefeitura de São Gonçalo

De acordo com os moradores, a Prefeitura fez cadastramento das famílias mais necessitadas para dar assistência, prometendo doar cestas básicas e colchonetes. O preenchimento das fichas foi feito no anexo da Prefeitura na Rua Uriscina Vargas em Alcântara, porém, até agora os cadastrados não receberam nenhuma ajuda da administradora do município.

Além disso, não tem vacina antitetânica no posto de saúde, no Hospital Geral e nem na UPA - Unidade de Pronto Atendimento - lançada recentemente pelo Governo do Estado. Segundo Nicole, as ruas do bairro constam como asfaltadas na Prefeitura, mas as ruas Jaime Muniz e Moreira do Castelo e diversas outras nos arredores não são asfaltadas e estão completamente sujas de lama. Veja aqui as fotos do local

Uma ponte que ligava duas ruas do bairro, construída em cima de um rio, desabou por causa do temporal . Ainda de acordo com os moradores, a prefeita de São Gonçalo, Aparecida Panisset, esteve no bairro visitando apenas o condomínio Vila do Colubandê e não retornou ao local. Veja as fotos

O Secretário de Comunicação de São Gonçalo, Odimar Azevedo, informou que hoje uma comissão de moradores do Colubandê e do Capote esteve na prefeitura fazendo uma manifestação e foi atendida pelo Secretário Eugenio Abreu que os informou quais medidas serão tomadas no local.

Odimar disse ainda que diariamente a prefeita se reúne com os secretários para verificar que ações serão tomadas e que a pessoa mais indicada para esclarecer sobre a situação do bairro era o Secretário de Desenvolvimento Social , Pedro Veiga.

O Portal Sinttel-Rio entrou em contato com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, e não conseguiu falar com ele. E até o fechamento desta matéria, Pedro Veiga não retornou o contato.

O caos nos transportes do RIo de Janeiro

Sair de casa para o trabalho virou um pesadelo para a população do Rio de Janeiro que depende de ônibus, barcas, trem ou metrô.

Para protestar contra esse total desrespeito e exigir uma solução por parte dos governos estadual e municipal, responsáveis pela concessão para exploração dos serviços de transportes, a CUT e sindicatos filiados farão no dia 15, a partir das 10 horas uma grande manifestação na Central da Brasil. Participe!

Governo já negocia nova banda larga com as teles

Planalto negocia banda larga com teles
 
Após tentar montar plano nacional encabeçado pela Telebrás, governo discute participação do setor privado; Casa Civil se reúne com a Oi.Encontro foi intermediado pelo BNDES, acionista da Oi; presidente da tele afirma que poderá participar em até 90% do programa.Após ameaçar montar um projeto tocado praticamente por uma estatal, o governo voltou a conversar com o setor privado para destravar o Plano Nacional de Banda Larga. Ontem, o presidente da Oi, Luiz Eduardo Falco, detalhou para a ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, como seria a sua participação.O encontro foi intermediado pelo presidente do BNDES, Luciano Coutinho. O banco estatal tem 31,4% de participação na tele.
Segundo a Folha apurou, voltou à mesa de negociações proposta do próprio governo que consiste num sistema misto de administração do programa. A rede de cabos de fibras óticas seria de propriedade de uma estatal, mas a gestão dos serviços poderia ficar a cargo de um consórcio formado por empresas do setor privado.Um assessor do presidente disse à Folha que a estrutura do programa está pronta, mas o governo busca, a partir de agora, formas de incluir o setor privado no negócio.Segundo ele, Lula deseja que o setor participe do programa. Quanto à estatal que seria utilizada para ser dona da rede de fibras óticas, Lula mantém a intenção de usar a Telebrás para gerir o plano, mas ainda há insegurança em relação a essa estratégia.
O Ministério da Fazenda aponta o risco de contaminação do plano com o passivo (dívidas) da Telebrás e desaconselha o uso da estatal. A Telebrás, de acordo com o balanço de 2009, é ré em 1.189 ações e o passivo total (soma dos riscos remotos, possíveis e prováveis) chega a R$ 284 milhões.
O Ministério do Planejamento, no entanto, é a favor do uso da empresa estatal. Agora, a situação está sendo analisada pela AGU (Advocacia-Geral da União), que dá a palavra final. A participação das empresas privadas no plano, sem Telebrás, era a posição defendida pelo ex-ministro das Comunicações Hélio Costa. Ele advogava um plano no qual houvesse benefícios fiscais que levassem o setor privado a oferecer o serviço nos locais onde ele hoje não é rentável e cobrassem preços mais acessíveis dos que os praticados hoje.
Rogério Santanna, secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Cézar Alvarez e André Barbosa, assessores especiais de Lula, defendiam o uso da Telebrás. Ela seria gestora de uma rede de cerca de 16 mil quilômetros de fibras óticas instaladas nas linhas de transmissão de energia da Eletrobrás e hoje subutilizadas.Por meio dessa rede, o governo atuaria no mercado, tanto no atacado (oferecendo as fibras óticas para que outras empresas chegassem ao consumidor final com acesso à internet) quanto no varejo, sendo o governo, nesse caso, o próprio prestador do serviço.
A proposta era a visão predominante no governo até que começaram a surgir dúvidas jurídicas em relação a sua viabilidade, levantadas pelo Ministério das Comunicações e, depois, pelo Tesouro Nacional. As dúvidas têm impedido que o governo faça o anúncio oficial do programa.
Somou-se a essas dúvidas revelação feita pela Folha, em fevereiro, de que as ações da Telebrás subiram 35.000% desde 2003 com os rumores de sua reativação. A Folha também revelou que o ex-ministro José Dirceu recebeu R$ 620 mil como consultor de uma empresa diretamente interessada na eventual reativação da estatal.

Oi

Após sair do encontro na Casa Civil, o presidente da Oi não quis detalhar sua proposta. Segundo ele, foi discutido como a estrutura que já existe no país pode auxiliar na "complementaridade" do plano do governo. Ele estimou participação da Oi em até 90% do plano. "Nós é que fazemos a universalização no Brasil, de uma maneira geral. Como esse é um assunto de universalização, em parte, a gente deve estar presente."
Falco se esquivou de responder sobre o interesse do BNDES em fazer da empresa a operadora do plano de banda larga. O banco do governo é um dos acionistas da Oi e já se manifestou a favor do uso da empresa no plano de massificação de internet rápida, em detrimento da revitalização da Telebrás ou do uso de outra estatal.
A operadora Oi comprou a Brasil Telecom em 2008, com ajuda de financiamento do BNDES, e hoje atua em quase todo o território brasileiro. Somando BNDES, Previ, Funcef e Petros (fundos de pensão estatais), a participação do governo na Oi é de 49,86%.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Campanha presidencial na Internet será de baixo nível

No fim de semana, o deputado Brizola Neto (PDT-RJ) postou mensagem no Twitter, informando que uma empresa de informática estaria registrando domínios na Internet com objetivo de criar sites com o intuito específico de atacar a candidatura presidencial da ex-ministra Dilma Rousseff (PT).O parlamentar sugere ainda que quem estaria por trás dessa manobra seriam os integrantes do PSDB, denominados por ele como "Serristas". Segundo Brizola, eles estariam se valendo do suposto anonimato da rede para atacar Dilma. A notícia chegou a ser publicada no dia 1° de abril no "Blog Tijolaço" (www.tijolaco.com), registrado por Brizola fora do país.

Não dá para afirmar que o candidato José Serra seja o "mandante" dessa desastrada estratégia política de seus "amigos". Mas a empresa de informática DDM Desenvolvimento de Software S/S Ltda teria, de fato, muitas explicações para fornecer sobre algumas curiosidades levantadas pelo portal Convergência Digital, com relação aos seus interesses políticos na campanha presidencial deste ano.

Primeiro, a empresa é detentora de um domínio criado para realçar as qualidades do candidato do PSDB na Internet (www.amigosdoserra.com.br), o que supostamente a vincula com a candidatura tucana. Ao mesmo tempo, ela registrou dois outros endereços eletrônicos, que deixam claro a sua inteção de atacar a imagem da candidata do PT à Presidência da República.

O segundo problema e o mais grave, foi o fato da empresa ter supostamente usado CNPJs diferentes nos registros de domínios, os quais pesquisados no site da Receita Federal foram informados como "inexistentes".

A DDM Desenvolvimento de SoftWare S/S Ltda também atende pelo nome "Duo Database Marketing Serviços e Sistemas Ltda". Seu endereço eletrônco é www.ddm.com.br. Porém, mesmo que fossem empresas distintas no mercado de informática paulista, tanto os seus CNPJs, quanto os endereços comerciais deixam margem para dúvidas sobre suas existências.

A empresa em seu site informa que já prestou serviços para dois laboratórios farmacêuticos importantes, supostamente no desenvolvimento dos sites dessas companhias. Também teria feito campanha na Web para o remédio Tylenol e uma fábrica de persianas.

Fora esses trabalhos, pouco se sabe sobre a empresa. Registrou os seguintes domínios na Internet, que tanto servem para atacar a candidata do PT, Dilma Rousseff, quanto para enaltecer as qualidades do candidato do PSDB José Serra:

- amigosdoserra.com.br
- dilmanao.com.br
- gentequemente.com.br
- joseserraoficial.com.br
- jotaserra.com.br
- jozeserra.com.br
- jserra.com.br

Na Receita Federal, quando pesquisado o CNPJ da empresa DDM que foi repassado ao Registro.br - do Comitê Gestor da Internet do Brasil - (n° 066.514.423/0001-38) ele é apontado como inexistente.

Da mesma forma, a DDM teria registrado os domínios: "www.dilmanao.com.br" - "www.gentequemente.com.br" e "www.amigosdoserra.com.br"; com o CNPJ n°000.660.111/0001-24, que também foi apontado na pesquisa feita na Receita como um número inválido.

Em quase todos os registros de sites na Internet, pelo menos os de suposto conteúdo político, o telefone para contato com a empresa também chama a atenção: (11 - 11111111). Além disso, a empresa informa dois endereços comerciais diferentes, sendo um na "Rua Mutinga n° 1000" e o outro na "Rua Antonio Gomide, 333", em São Paulo.

"Petralhas"

Mas a empresa DDM não seria a única interessada em criar confusão na Internet com a candidatura da ex-ministra Dilma Rousseff. O próprio PSDB, por meio do Instituto Social Democrata, também mantém um domínio na web que, pelo nome, deixa clara a intenção de atacar diretamente o PT ao longo da campanha (www.petralhas.com.br).

Além disso, o Instituto mantém registrados os seguintes domínios:

- blogdojoseserra.com.br
- blogdoserra.com.br
- eagora.blog.br
- jose-sera.com.br
- jose-sera45.com.br
- josesera.com.br
- josesera2010.com.br
- josesera45.com.br
- joseserra.blog.br
- joseserra2010.com.br
- petralhas.com.br
- serra2010.com.br
- sitedojoseserra.com.br
- sitedoserra.com.br

O candidato José Serra conta ainda com o endereço eletrônico www.serra45.com.br, que foi registrado diretamente pelo PSDB.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Telefônica passa por mudanças internas

Mudanças na estrutura da Telefônica: Fernando Freitas, que ocupava a diretoria executiva de relações institucionais e regulatórias, deixa a empresa, e assume em seu lugar Leila Loria, que deixa a TVA. A diretoria terá a sua atuação ampliada e passa a incorporar a área de inovação, além da recém criada área de desenvolvimento de novos negócios.

Ao aceitar o convite para ir para a Telefônica, Leila Loria deixa a direção geral da TVA, que será ocupada por Antônio Araújo, até então diretor operacional. Virgílio Amaral será o responsável pelo desenvolvimento de produtos de vídeo para o grupo Telefônica.

A diretoria de varejo da Telefônica, que era ocupada por Bento Loro, também será incorporada à diretoria de estratégia da empresa.

TV paga

Como diretora da Telefônica, Leila Loria, que estava no mercado de TV por assinatura há mais de dez anos, não terá mais sob sua responsabilidade operações de TV paga, mas continuará envolvida com o mercado, já que a diretoria de relações institucionais tem entre suas funções atuais o acompanhamento do PL 29/2007 no Congresso e a questão do espectro de 2,5 GHz, na Anatel. E como a área de desenvolvimento de negócios ficará sob a responsabilidade de Loria, outras interações com o setor de TV por assinatura podem surgir.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Oi propõe parceria com o governo no acesso à banda larga

Após a longa e inconclusiva reunião realizada nessa quinta-feira, 8, entre ministros, autoridades e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), a sexta feira, 9, começou cedo em negociações com a maior concessionária do setor de telecomunicações. Conforme divulgado por este noticiário, uma equipe da Casa Civil e do Ministério do Planejamento receberam pela manhã o presidente da Oi, Luiz Eduardo Falco, e alguns técnicos da empresa para discutir a massificação da banda larga e uma possível proposta da empresa para atuar no programa.

A reunião foi comandada pela ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, que teve o apoio do ministro do Planejamento, Paulo Bernardo. O encontro serviria para que a Oi apresentasse uma proposta para execução do PNBL, conforme sugestão feita ontem pelo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, ao presidente Lula.

A apresentação, no entanto, frustou as expectativas de quem apostava em um "plano alternativo" capitaneado pela Oi. Apesar do respaldo do BNDES, Falco não teria aproveitado essa influência para sugerir um plano realmente diferente da proposta em devenvolvimento na cúpula governamental, ao contrário. Segundo o executivo, a ideia continua sendo firmar uma "parceria". "Nossa proposta está dentro da linha do plano do governo e do posicionamento do presidente Lula de usar todas as redes que estiverem disponíveis", afirmou Falco ao sair da reunião. "Como nós temos algumas redes, pensamos que essa infraestrutura pode auxiliar no plano do governo."

A proposta

Falco não deu detalhes sobre a apresentação feita aos ministros, mas usou um tom bastante amigável ao comentar, mesmo que superficialmente, como a Oi pode colaborar com o plano do governo. Quando questionado se o governo teria se convencido da necessidade de usar as teles, o executivo arrematou: "Acho que não é um processo de convencimento o que temos aqui. Pode ser uma parceria".

No silêncio de Falco sobre como seria essa parceria, quem acabou fornecendo alguns detalhes sobre a sugestão da tele foi o secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Rogério Santanna, que também participou do encontro. Segundo Santanna, a Oi apresentou diversos cenários de massificação da banda larga, projetados sobre as simulações do próprio governo para o PNBL, em que a Oi poderia atender à demanda de banda larga nos preços pretendidos pelo Planalto.

Os cenários de preço final trabalhados pela equipe do Planejamento vão de R$ 15 a R$ 35 po 1 Mbps no preço de varejo, ou seja, o que seria pago diretamente pelo consumidor. Para que a Oi possa assegurar o acesso a estes patamares, a empresa argumentou a necessidade de o governo promover uma desoneração tributária no setor, reduzindo os custos da empresa.

A demanda de redução de tributos é reiterada há meses por todas as teles. Este item é o principal tópico da Carta do Guarujá, documento que resume as perspectivas e, principalmente, as expectativas para o setor de telecomunicações sob a ótica das empresas. Também foi colocada pelo Ministério das Comunicações em sua proposta para um plano de banda larga.

Uma outra sugestão feita pela Oi é que o governo subsidie parte dos custos finais da oferta de banda larga. A ideia baseia-se em uma outra política pública do setor de infraestrutura, o Luz para Todos. Esse programa é financiado em parte pelas concessionárias de energia e também pelo governo, por meio da aplicação de fundos setoriais. A sugestão objetiva da Oi é que o governo "pague" parte do custo da banda larga, fazendo com que a conta fique menos salgada para o consumidor, sem que isso afete dramaticamente as contas da empresa.

Reação

Os membros do governo ficaram de analisar a proposta da Oi mas, em princípio, não acharam as sugestões ruins. Para Santanna, a simples disposição da Oi de participar do PNBL de uma maneira mais pró-ativa já é um avanço do ponto de vista estratégico. "Acho muito salutar a empresa vir aqui para apresentar pontos onde ela pode colaborar. Isso não quer dizer, porém, que vamos aceitar todos os pontos", afirmou o secretário. Santanna entende que a Oi apenas "se antecipou" a uma discussão que certamente aconteceria com as empresas tão logo o PNBL seja aprovado pelo governo. "Ela pode ser parceira, como qualquer uma pode ser parceira. O próprio plano prevê uma mesa setorial onde esses aspectos serão discutidos."

A apresentação da Oi nesta sexta foi considerada por Santanna como uma "reação" aos planos do governo e, portanto, positiva no contexto de criação do PNBL. "Na minha terra se diz que a mutuca (mosquito) tira o boi do mato. É isso que está acontecendo. E não é a primeira vez. No Banda Larga nas Escolas, as empresa pediam no início R$ 9 bilhões para fazer o projeto e no fim fizeram por bem menos. Isso é parte do processo", analisou.

Oi e o backhaul

Alguns detalhes interessantes do encontro é que plano da Oi é boa parte amparado no cumprimento das metas de expansão do backhaul, obrigações estabelecidas no Plano Geral de Metas de Universalização (PGMU). Por ser uma política pública, essa expansão é financiada por meio das tarifas públicas cobradas dos consumidores. Outro ponto é que a Oi assumiu como contrapartida para obter a anuência prévia para a compra da Brasil Telecom a obrigação de tornar disponível em várias localidades a oferta comercial de banda larga nos mesmos níveis definidos no Banda Larga nas Escolas. Assim, pode-se entender que a expansão do serviço já faz parte dos planos da companhia, não apenas por uma estratégia comercial, mas principalmente por conta das metas assumidas seja no PGMU ou na anuência prévia.

Abertura dos custos


Os membros do governo não chegaram a avaliar essas questões por enquanto e como isso impactaria em uma eventual parceria que envolva subsídios. Um aspecto levantado na reunião é a necessidade de que a Oi, ou qualquer tele, abra seus custos em detalhes para que fique claro se a carga tributária é mesmo o maior vilão do preço da banda larga. Para que isso ocorra, seria necessário que a Anatel avançasse na composição do modelo de custos do setor, que está em elaboração há anos.

MPF/SP aciona Anatel para obrigar flexibilização da fidelização

O Ministério Público Federal em São Paulo (MPF/SP) ajuizou ação civil pública para que a Anatel crie uma norma que possibilite novas formas de rescisão sem pagamento de multa, como previsto no Código de Defesa do Consumidor (CDC), nos contratos de telefonia móvel e TV por assinatura que houver cláusula de fidelização. Essa cláusula estipula o tempo mínimo de contratação para poder desistir do serviço.

MPF pede que a Anatel estipule cláusulas nos contratos com tempo de fidelização que prevejam rescisão sem multa nos casos de defeito, não funcionamento, funcionamento falho, interrupção, suspensão ou falha no serviço; alteração dos termos iniciais de prestação, aí incluída a alteração dos planos e condições oferecidas, alteração do valor da assinatura, preços, tarifas ou quaisquer encargos; perda da renda do consumidor, especialmente nas hipóteses de demissão posterior à assinatura do contrato, com base no inciso V, do art. 6º do CDC; e ainda que as prestadoras de serviços de televisão por assinatura e as prestadoras de serviço móvel pessoal de telefonia garantam o funcionamento do aparelho pelo prazo mínimo de contratação como garantia complementar à garantia legal (art. 24 do CDC).

O MPF já havia recomendado no dia 28 de janeiro às operadoras e à Anatel que não exigissem a fidelização nos casos em que há mudanças nos termos iniciais da prestação de serviço, como a alteração dos planos e condições oferecidas, bem como valor da assinatura, preços, tarifas e outros encargos. Apesar da recomendação, não houve solução extrajudicial para o caso, sendo necessária a apresentação da ação.

domingo, 11 de abril de 2010

Data de anúncio do PNBL segue indefinida

A data de anúncio do Plano Nacional de Banda Larga segue indefinida, assim como a reunião que finalizará o programa. Isso porque o presidente Lula viaja neste fim de semana para os Estados Unidos e só retorna ao Brasil na próxima quinta-feira, 15. Ontem, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, mostrou-se otimista e considerou a possibilidade de os debates serem retomados na própria quinta. A perspectiva após o encontro de ontem, no entanto, é que o assunto volte à pauta nos próximos 15 dias, ampliando a margem de agendamento de uma nova reunião.
De qualquer forma, a equipe do governo espera que o PNBL seja arrematado ainda neste mês. Ontem havia uma forte expectativa de que o assunto fosse encerrado e que o anúncio do projeto fosse feito até esta sexta, 9. O interesse da Oi de apresentar uma proposta e a posição cética do Ministério da Fazenda com relação à viabilidade do plano adiaram o desfecho. O secretário de logística e TI do Ministério do Planejamento, Rogério Santanna, afirmou que a sua impressão é que o presidente Lula "sentiu a ausência do ministro Guido (Mantega, da Fazenda)" e que isso prejudicou a conclusão da reunião com uma decisão sobre o PNBL. Mantega não participou do encontro por estar em viagem a Porto Alegre.

Brasil adia início das retaliações contra EUA

Os ministros da Câmara de Comércio Exterior (Camex) aprovaram resolução que adia a entrada em vigor das contramedidas brasileiras sobre importações de bens dos Estados Unidos no contexto do contencioso do algodão na Organização Mundial do Comércio (OMC). A resolução determina que as referidas contramedidas entrem em vigor no próximo dia 22 de abril de 2010, ao invés do dia 8 deste mês, como previsto anteriormente.O governo recebeu uma proposta dos EUA para uma solução negociada da disputa comercial e vai estudá-la antes de decidir se prossegue com as sobretaxas inclusive sobre propriedade intelectual, como softwares.


O governo brasileiro entende que as conversações bilaterais em curso e o acordo provisório delas resultante poderão estabelecer as bases para uma futura e definitiva solução mutuamente satisfatória para o litígio. O Brasil ainda persegue a plena implementação das determinações da OMC. Eventual acordo sobre medidas de compensação ou de implementação parcial terão necessariamente caráter temporário.

sábado, 10 de abril de 2010

Um defeito da mulher

A língua portuguesa é difícil - AMÁ-LA ou AMAR-TE ?
 
O marido, ao chegar em casa, no final da noite, diz à mulher, que já
 estava deitada:
 
- "Querida, eu quero amá-la."
 
A mulher, que estava quase dormindo, com a voz embolada, responde:
 
- " A mala... ah não sei onde está, não! Use a mochila que está no
 maleiro do quarto de visitas ."
 
- "Não é isso querida, hoje vou amar-te."
 
- "Por mim, você pode ir até Júpiter, até Saturno e até à puta que o
 pariu, desde que me deixe dormir em paz... "

kkk...rs

Show de bola...rs

Bjs 

Lilika Forever

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Curso de Formação de Maridos

Objetivo pedagógico:

Permite aos homens desenvolver a parte do corpo da qual ignoram a existência (o cérebro).
São 4 módulos:


Módulo 1: Introdução (Obrigatório)

1 - Aprender a viver sem a mamãe. (2.000 horas)

2 - Minha mulher não é minha mãe. (350 horas)

3 - Entender que não se classificar para o Mundial não é a morte. (500 horas)


Módulo 2: Vida a dois


1 - Ser pai e não ter ciúmes do filho. (50 horas)

2 - Deixar de dizer impropérios quando a mulher recebe suas amigas. (500 horas)

3 - Superar a síndrome do 'o controle remoto é meu'.. (550 horas)

4 - Não urinar fora do vaso. (1000 horas - exercícios práticos em vídeo)

5 - Entender que os sapatos não vão sozinhos para o armário. (800 horas)

6 - Como chegar ao cesto de roupa suja. (500 horas)

7 - Como sobreviver a um resfriado sem agonizar. (450 horas)


Módulo 3: Tempo livre

1 - Passar uma camisa em menos de duas horas. (exercícios práticos)

2 - Tomar a cerveja sem arrotar, quando se está à mesa. (exercícios práticos)


Módulo 4: Curso de cozinha

1 - Nível 1. (principiantes - os eletrodomésticos) ON/OFF = LIGA/DESLIGA

2 - Nível 2. (avançado) Minha primeira sopa instantânea sem queimar a Panela.

3 - Exercícios práticos Ferver a água antes de por o macarrão.


Cursos Complementares

Por razões de dificuldade, complexidade e entendimento dos temas, os cursos terão no máximo três alunos.

1 - A eletricidade e eu: vantagens econômicas de contar com um técnico competente para fazer reparos.

2 - Cozinhar e limpar a cozinha não provoca impotência nem homossexualidade. (práticas em laboratório)

3 - Porque não é crime presentear com flores, embora já tenha se casado com ela.

4 - O rolo de papel higiênico: Ele nasce ao lado do vaso sanitário? (biólogos e físicos falarão sobre o tema da geração espontânea)

5 - Como baixar a tampa do vaso passo a passo. (teleconferência)

6 - Porque não é necessário agitar os lençóis depois de emitir gases intestinais. (exercícios de reflexão em dupla)

7 - Os homens dirigindo, podem SIM, pedir informação sem se perderem ou correr o risco de parecerem impotentes. (testemunhos)

8 - O detergente: doses, consumo e aplicação. Práticas para evitar acabar com a casa.

9 - A lavadora de roupas: esse grande mistério.

10 - Diferenças fundamentais entre o cesto de roupas sujas e o chão. (exercícios com musicoterapia)

11 - A xícara de café: ela levita, indo da mesa à pia? (exercícios Dirigidos por Mister M)

12 - Analisar detidamente as causas anatômicas, fisiológicas e/ou psicológicas que não permitem secar o banheiro depois do banho.
O curso é gratuito para homens solteiros e para os casados damos bolsas.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Grupo Nobel e Amputados Vencedores Convidam para Lançamento Livro Feira Reatech em São Paulo

Lançamento livro Amputados vencedores

IX Reatech (Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade) Dias 15 a 18 de abril Horário: Quinta e Sexta das 13 às 21:00 – Sábado e Domingo das 10 às 19:00 horas Centro de Exposições Imigrantes - São Paulo Rodovia dos Imigrantes km 1,5

Rua 200 stand no. E38 – Amputados Vencedores

Maiores informações: http://www.amputadosvencedores.com.br

quarta-feira, 7 de abril de 2010

A lógica dos amantes

Um casal dormia profundamente, como inocentes bebês...
De repente, lá pelas três horas da manhã, escutam ruídos fora do quarto.
A mulher se sobressalta e, apavorada, sussurra para o homem que dorme ao seu lado:
- Aaaaaiiiiiii, meu Deus, deve ser o meu marido!!!
O cara se levanta rapidamente e, ensandecido, pula pelado pela janela.
Na queda, se arrebenta nos espinhos de uma roseira e, quando sai da roseira, cai sentado com a bunda numa moita cheia de urtiga.
Todo machucado e coçando mais que cachorro vagabundo cheio de pulgas, ele volta irritado e diz à mulher:
- Sua louca, maluca, pirada do cacete.... Olha a merda que eu tô! Teu marido sou eu, pô!!!
- Ah, é?!?!? E pulou a janela por quê?

Moral da estória:
“Consciência pesada é um problema sério, muito sério..."

Responsáveis pelo PNBL esperam reunião com Lula ainda nesta semana

Os responsáveis pelo desenho do Plano Nacional de Banda Larga acreditam que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva dará a palavra final sobre o projeto ainda nesta semana. Uma reunião estava prevista para esta segunda-feira, 5/3, mas foi adiada por conta do encontro de Lula com os novos ministros, empossados na semana passada. A ideia é achar um espaço na agenda do presidente até quinta-feira.

Nos bastidores acredita-se que a troca de ministros possa ajudar a deslanchar o plano, uma vez que o próprio ex-ministro das Comunicações, Hélio Costa, não tinha inibições em criticar a proposta em construção sob a batuta da Casa Civil – especialmente depois que a sugestão apresentada pelo Minicom, que previa protagonismo das teles privadas, foi descartada.

Afinal, o mote do PNBL é levar acesso à Internet às regiões que atualmente não contam com o serviço, ou dispõem dele através de um único fornecedor privado – com o consequente efeito desse monopólio privado sobre os preços das conexões. A concorrência em banda larga existe em menos de 200 cidades do país.

Daí a ideia de aproveitar a rede de fibras óticas do setor elétrico para conectar mais de 4 mil cidades. Cerca de 3 mil delas, no Nordeste, Sudeste, Sul e parte do Centro-Oeste devem aproveitar essa infraestrutura já existente – esses grandes anéis de fibras óticas – caso o governo consiga fazer as ligações a até 100 km da rede. Outras mil cidades dependem da extensão da rede para Mato Grosso, Rondônia, Acre e Pará, além da conexão do Amapá via Venezuela.

Pelo que se discute, caberá ao presidente decidir como serão feitas as conexões locais. A proposta prevê parcerias com pequenos provedores e financiamento dos backhauls – aquelas ligações das redes principais com as cidades até 100 km dessa malha. A expectativa é de que com preços mais acessíveis no atacado – ou seja, com a venda de capacidade para os provedores a R$ 200 por Megabyte, contra o custo médio atual de R$ 1,3 mil – esses sejam capazes de oferecer ligações aos assinantes por R$ 35.

Não está descartada, porém, a possibilidade da venda direta pelo Estado. Esse papel caberia à gestora da rede de fibras óticas, cuja tarefa principal será a negociação dos links, mas que pode assumir a responsabilidade de levar acesso à última milha. Nas simulações com conexões a R$ 15, R$ 21 e R$ 35, a operação seria rentável pelo valor mais alto.

Até aqui, a Telebrás é a estatal preferida para assumir o papel de gestora dessa rede. Segundo o Secretário de Logística e TI do Ministério do Planejamento, Rogério Santanna, ela poderia recuperar os cerca de 200 funcionários que atualmente estão cedidos, especialmente para a Anatel, e estar em condições de operar em cerca de dois meses.

O forte bombardeio contra a empresa, no entanto, pode levar o presidente Lula a escolher outro caminho – o Serpro, por exemplo, é candidato ao posto de gestor da rede de fibras. Algumas versões sustentam que a utilização da Telebrás traria ganhos para investidores privados da rede de fibras óticas. Apesar das negativas do governo, essa tese chegou a embasar um pedido de investigação que partidos de oposição apresentaram à Procuradoria Geral da República.

O uso da Telebrás e o suposto beneficiamento a um investidor privado – versão que ganhou molho especial por esse investidor ter sido cliente do ex-ministro José Dirceu – serão discutidos nesta terça-feira, 6/3, em audiência da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados.

Entre os convidados estão o suposto beneficiado, o empresário Nelson dos Santos, que tem participação na empresa que atualmente administra as fibras óticas, a Eletronet; a nova ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra; o presidente da Telebrás, Jorge da Motta e Silva; e a presidente da Comissão de Valores Mobiliários, Maria Helena Santana – a CVM estaria investigando os movimentos por trás das oscilações das ações da Telebrás.

terça-feira, 6 de abril de 2010

POR QUE AS CAMISINHAS VÊM EM PACOTES DE 3, 6 E 12 UNIDADES?

Um homem caminha por uma drogaria com seu filho de dez anos. Aconteceu de eles passarem pela seção de preservativos e o menino perguntou:

- O que é isso, pai?

O pai respondeu:

- São os chamados preservativos, filho... Os homens usam para fazer sexo seguro.

- Ah, tá..., respondeu o menino, pensativo. Sim, eu já ouvi falar disso nas aulas de educação sexual na escola.

Ele olha para a prateleira, apanha um pacote de três preservativos e pergunta:

- Por que tem três nesse pacote?

O pai responde:

- Esses são para garotos do Segundo Grau. Uma para a Sexta, uma para o sábado e uma para o Domingo.

- Legal, diz o menino.

Agora ele pega um pacote com 6 e pergunta:

- E esses? Para que servem?

- Esses são para garotos da Faculdade, o pai responde. Duas para a sexta, duas para o sábado e duas para o domingo.

- Uau! - exclamou o menino. Então quem usa estes? Perguntou o menino, apanhando um pacote com 12.

Com um suspiro, o pai responde:

- Estes são para os homens casados. Uma para Janeiro, outra para Fevereiro, outra para Março... e assim por diante ,até Dezembro.
(Se vc tá "rindo" é pq é casado... se vc falou "não acredito", casa pra ver...)

segunda-feira, 5 de abril de 2010

A LUVA E A CALCINHA

Um jovem estudante, ao passar em uma loja em São Paulo ...

Resolveu comprar um belo par de luvas para enviar a sua jovem namorada, ainda virgem, de família tradicional mineira, a quem muito respeitava.
Na pressa de embrulhar, a moça da loja cometeu um 'pequeno' engano, trocando as luvas por uma CALCINHA!
O jovem, não notando a troca, enviou o presente via SEDEX junto com a seguinte carta:

Olha a merda...

São Paulo, 30 de maio de 2005.

Querida:

Sabendo que dia 12 próximos é o Dia dos Namorados, resolvi te mandar este presentinho.. Embora eu saiba que você não costuma usar (pelo menos eu nunca te vi usando uma), acho que vai gostar da cor e do modelo, pois a moça da loja experimentou e, pelo que vi, ficou ótima.
Apesar de um pouco larga na frente, ela disse que é melhor assim do que muito apertada, pois a mão entra com mais facilidade e os dedos podem se movimentar à vontade. Depois de usá-la, é bom virar do avesso e colocar um pouco de talco para evitar aquele odor desagradável.
Espero que goste, pois vai cobrir aquilo que breve irei pedir ao teu pai, além de proteger o local em que colocarei aquilo que você tanto sonha.

domingo, 4 de abril de 2010

Feliz Páscoa

Na  Páscoa é preciso...

ser capaz de mudar,
é partilhar a vida na esperança,
é lutar para vencer toda sorte de sofrimento.
É ajudar mais gente a ser gente,
é viver em constante libertação,
é crer na vida que vence a morte.
É dizer sim ao amor e à vida,
é investir na fraternidade,
é lutar por um mundo melhor,
é vivenciar a solidariedade.
É renascimento, é recomeço,
é uma nova chance para melhorarmos
as coisas que não gostamos em nós,
para sermos mais felizes
por conhecermos
a nós mesmos mais um pouquinho
e vermos que hoje,
somos melhores do que fomos ontem


Amigos tudo de bom...
Bjs 
Lilika Forever

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Banda H: Empresas sugerem que Anatel impeça participação da Nextel

Durante reunião do Conselho Consultivo da Anatel, realizada nesta sexta-feira, 26/3, as empresas aproveitaram uma apresentação sobre o leilão da Banda H, que a agência pretende realizar ainda neste semestre, para novamente reclamar do que consideram “privilégios” a novos competidores na disputa.

O representante das empresas no Conselho Consultivo, Luiz Francisco Perrone, que é diretor da Oi e já foi do conselho diretor da Anatel, questionou a possibilidade de um eventual único concorrente entre os novos entrantes levar os lotes de frequência pagando apenas o preço mínimo que vier a ser estipulado. "Se eventualmente só aparecer uma empresa, ela terá condições privilegiadas", disse Perrone.

O representante das empresas também reclamou de que esse novo competidor não terá que cumprir contrapartidas tão abrangentes como aquelas estipuladas no leilão do 3G, realizado em dezembro de 2007 e que incluíam metas de cobertura celular em todos os municípios brasileiros.

Mas a sugestão mais curiosa de Perrone foi de que a Anatel só permita a participação de empresas que atuam no segmento do Serviço Móvel Pessoal. "Seria importante que quem vá participar seja um operador de SMP", defendeu.Embora não tenha citado, a menção é claramente relacionada ao interesse da Nextel no leilão - uma empresa que presta serviço de trunking, ou seja, Serviço Móvel Especial, e não SMP.

Não custa rememorar que no leilão do 3G, as operadoras móveis teriam levado os lotes pelo preço mínimo não fosse, justamente, a atuação da Nextel. A empresa despontou no páreo e, embora não tenha conseguido vencer nenhuma das áreas em disputa, obrigou as teles a desembolsarem mais para ficar com as frequências.

O gerente de Regulamentação da Superintendência de Serviços Privados da agência, Bruno Ramos, rebateu os argumentos sustentando, especialmente, ser imprescindível a tentativa de se ter um quinto competidor na telefonia móvel. "A Anatel precisa, ao menos, tentar", disse. Ele também ressaltou que é natural que haja algum tipo de vantagem ao novo entrante.

"Quando eu entro em quinto lugar no mercado, tenho uma enorme desvantagem. Afinal, temos empresas prestando esse serviço há muitos anos, com muita experiência e conhecimento adquirido. Portanto, quando penso no quinto competidor, tenho sim que pensar em assimetrias. Porque se o tratamento for igual, não há equilíbrio", afirmou Ramos.

O gerente lembrou, ainda, que não faz sentido comparar a disputa para a Banda H com quem já presta SME. "O bloqueio à entrada de SME é maior que no SMP. Isso porque os equipamentos são mais caros e há menos espectro. Nesse serviço não se consegue reunir até 85 MHz de frequência como acontece no SMP", enfatizou.

Além disso, Bruno Ramos repetiu que a Anatel está simplesmente mantendo as regras que já tinham sido definidas no passado e, vale lembrar, com as quais as operadoras móveis concordaram à época. “Todo mundo que comprou em 2007 [no leilão do 3G] sabia que haveria uma Banda H para um quinto competidor”, insistiu o gerente da Anatel.

quarta-feira, 31 de março de 2010

Cidades escolhidas pelo ProUca devem ser atendidas também com plano de banda larga

O governo está concluindo o edital para compra de um milhão de notebooks para o Programa Um Computador por Aluno (ProUca), que beneficiará estudantes de escolas públicas de 300 cidades brasileiras, de perfis e regiões diferentes, ainda este ano. A meta é semelhante a já adiantada pelo governo para o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), a ser lançado em abril, o que leva a crer que a lista de cidades será aproveitada nos dois projetos. Cresce também a possibilidade da participação da iniciativa privada no plano.

O assessor especial da Casa Civil, André Barbosa, não sabe se as cidades relacionadas para o ProUca será a mesma do PNBL, porque não está acompanhando as discussões desse último programa, mas acha que, no mínimo, haverá coincidências de localidades a serem atendidas. Segundo ele, há um entrelaçamento dos projetos de inclusão digital do governo, envolvendo não somente o ProUca e o PNBL, mas também o Programa de Banda Larga nas Escolas e até o Gesac, programa de governo eletrônico que fornece conexão pública em telecentros por meio de satélite e que, segundo o ministro da Educação, Fernando Haddad, irá conectar boa parte das escolas rurais este ano.

Barbosa vê nesse entrelaçamento dos programas de inclusão a criação de um círculo virtuoso, que leva o governo a apressar as decisões sobre o PNBL, o que deve acontecer em reunião marcada entre o grupo que discute o programa e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva dia 5 de abril. Na sua avaliação, a conexão das escolas públicas urbanas e a distribuição de notebooks para os alunos elevam as demandas da sociedade pelo acesso à internet e o governo, a exemplo do que estão fazendo os EUA e Austrália, deve iniciar seu plano ainda em 2010.

Quanto ao Programa de Banda Larga nas Escolas, que Barbosa acompanha de perto, há um claro entendimento do enorme sucesso que tem sido. Até dezembro de 2009, 45 mil escolas das 55 mil previstas inicialmente, já estavam conectadas e as operadoras se comprometeram em levar a conexão para mais oito mil escolas, além das previstas, até o final do ano, elevando a meta para mais de 63 mil estabelecimentos. Essas instituições foram reclassificadas de rurais para urbanas no censo escolar de 2009.

Na reunião sobre o balanço do Programa Banda Larga nas Escolas, realizada na quinta-feira passada na Casa Civil, algumas operadoras falaram do sucesso da implantação do backhual, resultado da troca das metas do Plano Geral de Metas de Universalização (PGMU) imposto às concessionárias da telefonia fixa, da ampliação do número de municípios que já tem acesso ao serviço por meio das escolas, dos conteúdos educacionais já construídos. “Isso alimenta a possibilidade dessa discussão ser muito mais substancial nessa relação que pode haver entre governo e iniciativa privada no PNBL”, avalia.

Barbosa disse que a decisão sobre o formato do PNBL será dada pelo presidente Lula, mas adianta que a principal característica será de o governo ser indutor do plano, assim como tem sido indutor do Programa Banda Larga nas Escolas. “Se o governo tiver a possibilidade de ser indutor desse projeto e de ter as empresas privadas como parceiras, por que não?”, indaga.

terça-feira, 30 de março de 2010

Hélio Costa, único ministro ausente do PAC-2

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, é o único representante do primeiro escalão do governo federal que está ausente da solenidade de lançamento do PAC-2- Plano de Aceleração do Crescimento-2, que começou agora em Brasília.

A sua ausência foi comentada , visto que todos os políticos que vão se candidatar a cargos eletivos nas eleições deste ano devem deixar seus cargos até esta quarta-feira e esta é uma das últimas solenidades públicas com o presidente Lula.

Segundo a assessoria de Costa, a sua ausência se dá por problemas de agenda, mas o ministro irá se encontrar hoje à tarde com o presidente Lula, na solenidade de entrega de medalhas de seu ministério para diferentes personalidades, entre elas, o diretor da Folha de S. Paulo, Otávio Frias Filho.

Google encontra poucos aliados em batalha contra a China

O Google usou a liberdade da internet como lema em seu confronto com a China. Mas o silêncio ensurdecedor na arena empresarial dos Estados Unidos destaca até que ponto o Google parece estar isolado em um esforço para mudar as regras do maior mercado mundial de internet.

Apenas a GoDaddy.com seguiu o exemplo do Google no protesto contra as políticas chinesas de censura. A companhia de hospedagem e registro de domínios anunciou na quarta-feira que não mais registraria nomes de domínio na China, devido às novas regras que requerem que recolha fotos de seus clientes.

Com poucos aliados, Google parece estar isolado em um esforço para mudar as regras do maior mercado mundial de internet.A decisão da GoDaddy, mais famosa por seus comerciais de duplo sentido do que pela defesa da liberdade da internet, contrasta acentuadamente com a resposta anêmica de outras empresas.

Microsoft, Yahoo! e outros costumam alardear os princípios de liberdade da internet, mas nenhuma delas seguiu diretamente o apelo do Google pelo fim da censura à Web na China. E, excetuada a GoDaddy, nenhuma outra companhia de tecnologia deu a entender que mudará suas práticas de negócio na China a fim de protestar contra a regulamentação e as restrições que existem naquele mercado.

"A China é um mercado muito importante", disse Jim Frieland, analista da Cowen and Co.
"Qual é o incentivo para que um governo ou outra empresa se alie ao Google? Não existe incentivo, e é por isso que não vimos uma atitude como essa."

A dificuldade do Google em conquistar aliados pode ser a revelação dos desafios que o maior serviço mundial de buscas tem pela frente na China, já que o passado prova que se torna mais fácil negociar com o governo chinês caso uma empresa conte com amplo apoio.

No ano passado, uma campanha coordenada de organizações setoriais e do governo dos EUA levou a China a abandonar o controvertido plano de impor aos fabricantes de computadores a instalação de um software especial de filtragem de dados chamado Green Dam nas máquinas vendidas no país.

Mas o governo dos EUA parece ter decidido se manter afastado, desta vez, e definiu a decisão do Google como "assunto de negócios" no qual Washington não tem influência. No entanto, o Departamento de Estado anunciou que continuaria discutindo com Pequim a liberdade da internet.

Diferente do episódio Green Dam, a posição do Google sobre censura não é uma causa que muitas empresas de tecnologia queiram aderir publicamente.

Muitas delas tem muito mais negócios e ativos substanciais na China, como fábricas e armazéns, que o Google e por isso têm muito mais a perder.

Analistas estimam que os negócios do Google na China contribuem com modestos 1% a 2% do lucro líquido anual da empresa, que é US$ 6,5 bilhões. Enquanto isso, a GoDaddy afirma que a China contribui com menos de 1% da receita de U1 bilhão de dólares que espera gerar este ano.

"O governo chinês e o Partido Comunista têm uma habilidade única em influenciar empresas de uma maneira que podem tornar muito difícil para elas fazerem negócios em um mercado", afirmou uma fonte de um grupo de negócios que pediu para não ser identificada.

"Então as companhias estrangeiras têm que ser muito cautelosas sobre como se pronunciam." O Google anunciou em janeiro que não vai mais censurar seus resultados de buscas na China, após ter afirmado ter sofrido um sofisticado ciberataque originado no país e que teve por intenção acessar contas de e-mail de ativistas chineses de direitos humanos.

Esta semana, depois de negociações infrutíferas com o governo chinês para operar um mecanismo de busca sem censuras na China, o Google encerrou a operação do Google.cn e redirecionou o tráfego de internautas para um site não mediado baseado em Hong Kong.

O Google pretende manter algumas operações em território chinês, incluindo pesquisa e desenvolvimento e equipe de vendas, mas o governo pode tornar as condições difíceis para a empresa.

Por exemplo, a China pode não permitir que o Google renove sua licença de internet, que segundo informações da mídia expira em um mês.

segunda-feira, 29 de março de 2010

TIC e Banda Larga não são prioridades no PAC 2

Dessa vez, as áreas de TI e Telecomunicações não foram contempladas com políticas de incentivo, apesar da promessa da criação de uma linha de crédito para a banda larga no Programa de Aceleração do Crescimento 2, anunciado pelo presidente Lula. O programa prevê investimentos de R$ 1,59 trilhão em obras e está dividido em saneamento, energia, transporte e construção civil.

O Programa de Aceleração do Crescimento 2 está sendo anunciado pelo presidente Lula, nesta segunda-feira, 29/03. Dessa vez, TIC ficou de fora. Se na primeira versão do PAC, anunciada em maio de 2008, o setor foi um dos pilares com incentivos à exportação e à política industrial, dessa vez, não foi considerado prioridade, nem mesmo, em temas como TV Digital - onde o Brasil briga para criar um padrão mundial - e Banda Larga.

Em janeiro, o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, declarou que o Plano Nacional de Banda Larga contaria com uma linha de crédito específica no PAC 2 mas, ao que parece, essa iniciativa ficou de fora das diretrizes principais. O Plano Nacional de Banda Larga ainda não está estruturado e deverá ser tema de nova reunião ministerial na próxima semana.

Segundo o já antecipado para a imprensa, os projetos de infraestrutura do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento) serão divididos em seis eixos, segundo anunciou o governo federal em evento de lançamento nesta segunda-feira, e prevê investimentos de R$ 1,59 trilhão em obras.

A previsão é que R$ 958,9 bilhões sejam usados até 2014. O slogan será "O Brasil vai continuar crescendo" e as áreas de investimento serão: Energia, Água e Luz Para Todos, Comunidade Cidadã (aumento da cobertura de serviços nas cidades), Minha Casa, Minha Vida, Transportes e Cidade Melhor (voltadas para as cidades).

A maior parte dos investimentos será destinada para os projetos de energia com um montante total de R$ 1,092 trilhão. Habitação receberá a segunda maior cifra, com R$ 278,2 bilhões para o programa Minha Casa, Minha Vida.

domingo, 28 de março de 2010

Banda larga: Plano será lançado em abril

Produzir conteúdo ainda é problema para o governo

O presidente Lula reafirmou na segunda-feira, 22, a disposição do governo de lançar o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) no próximo mês. O anúncio foi feito pelo próprio Lula na coluna semanal "O Presidente Responde". Foi a primeira vez que o presidente confirmou a intenção de lançamento do projeto em abril.
A ideia é, até 2014, levar banda larga de pelo menos 1 Mbps a todos os municípios brasileiros por preços acessíveis às populações de baixa renda.
O centro do plano é usar redes de fibra óptica que já existem pelo país, mas estão ociosas, como as redes das empresas de energia elétrica e criar conexões com redes móveis para atender zonas rurais e municípios afastados dos grandes centros. A estratégia é usar a Telebrás como gestora dessa nova rede pública, administrando o uso da infraestrutura de fibras óticas das três maiores estatais do setor energético: Petrobras, Furnas e Chesf. O governo pretende somar a essa malha, a rede da Eletronet, além das novas fibras que serão implantadas com verbas públicas. A intenção é que, depois de lançado, o projeto de uso da fibra óptica se dissemine pelo país em dois anos.
Em entrevista no dia 18 de março, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, destacou que no plano discutido pelo governo o custo do acesso deverá ficar entre R$ 25 e R$ 35. Não haverá venda casada, isto é, a operadora não poderá oferecer o acesso a internet condicionado, por exemplo, ao uso do telefone fixo.
O ministro também afirmou que a utilização dos cabos de eletricidade já está sendo testada pelas distribuidoras de energia elétrica. Em locais onde não há cabos de eletricidade ou fibra óptica poderão ser usados sistemas de rádio ou acesso via satélite.


Para o ministro, o Plano de Banda Larga deve ser aprovado pelo Congresso Nacional com rapidez. "Temos observado que há uma demanda muito grande pela banda larga. Se a gente fizer uma boa proposta, com certeza o Congresso vai correr para aprovar. Sabemos que é muito importante diminuir o custo para facilitar o acesso", disse.
Na Conferência Nacional de Comunicação, realizada em dezembro, em Brasília, os 1.500 delegados presentes aprovaram a proposta de que a banda larga seja oferecida em regime público, isto é, as empresas privadas podem oferecer o serviço mas terão que cumprir metas de qualidade e de universalização, como acontece com a telefonia fixa. A proposta foi defendida na Conferência pelo diretor de Imprensa do Sinttel-Rio, Marcello Miranda. (Para saber mais sobre o Plano Nacional de Banda Larga acesse www.institutotelecom.com.br).


Produção de equipamentos
Em sua coluna semanal, o presidente Lula disse ainda que o estímulo à produção de equipamentos nacionais é uma preocupação constante do governo e que o PNBL pode colaborar com as ações que já vem sendo feitas.
"As ações previstas vão fortalecer a cadeia produtiva de telecomunicações com equipamentos nacionais", enfatizou Lula. As ferramentas que têm sido mais usadas para o fomento da indústria tecnológica são a Lei de Informática e o Processo Produtivo Básico (PPB), conforme listou o presidente. Além disso, as linhas de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para telecomunicações exigem a compra de equipamentos produzidos no Brasil. Segundo Lula, a permanente preocupação com a expansão dessa indústria se deve ao fato de que o setor de equipamentos e componentes eletrônicos "é o que mais impacta negativamente nossa balança comercial".

sábado, 27 de março de 2010

Gripe H1N1: confira o calendário de vacinação


Inicialmente, a epidemia conhecida como influenza, transmitida pelo vírus de mesmo nome, ocorreu em 1889, quando 300 mil pessoas morreram, principalmente idosos, em decorrência de complicações. Em 1918, uma variação do vírus, tornando a doença conhecida como gripe espanhola, acometeu cerca de 50% da população mundial e vitimou mais de 40 milhões de pessoas. Em 1957, a gripe asiática, transmitida também por uma variação do vírus influenza, se espalhou pelo mundo em seis meses e matou cerca de 1 milhão de pessoas.

Os vírus influenza são compostos de RNA de hélice única, da família dos Ortomixovírus e subdividem-se em três tipos: A, B e C, de acordo com sua diversidade antigênica. Os vírus podem sofrer mutações (transformações em sua estrutura). Os tipos A e B causam maior morbidade (doença) e mortalidade (mortes) que o tipo C. Geralmente, as epidemias e pandemias (epidemia em vários países) estão associadas ao vírus influenza A. A influenza H1N1, uma nova variação do vírus H1N1 teve o primeiro caso confirmado em abril de 2009, no México.

As principais características do processo de transmissão da influenza são: alta transmissibilidade; maior gravidade entre os idosos, as crianças, os imunodeprimidos, os cardiopatas e os pneumopatas; rápida variação antigênica do vírus influenza, o que favorece a rápida reposição do estoque de susceptíveis na população; apresenta-se como zoonose entre aves selvagens e domésticas, suínos, focas e eqüinos que, desse modo, também constituem-se em reservatórios dos vírus.



Vacina H1N1 – Data e Calendário Campanha Vacinação Gripe 2010: Para os cidadãos do País inteiro, fiquem sabendo que já iniciaram as campanhas para orientar a população sobre a vacinação contra a gripe pandêmica, essas campanhas começaram no ultimo dia 4 quinta feira, e tem previsão para ir até o dia 14 de Março, serão distribuídos cerca de 100 mil cartazes e 1 milhão de folders com as datas referentes em que cada grupo deverá receber as doses, além do reforço das medidas de prevenção que os brasileiros devem adotar no dia-a-dia.



A Campanha Nacional de Vacinação contra gripe H1N1 começará no dia 19 de Março de 2010, sendo que a campanha será realizada em cinco etapas contra o vírus H1N1 que ocorrerão em todos os municípios do Brasil, as doses da vacina já chegaram a muitos estados, sendo recebidas mais de 170 mil doses da vacina para a primeira etapa, 30 mil somente para Porto Alegre, sendo que a estimativa do governo é que sejam vacinadas cerca de 127 mil trabalhadores da saúde e 20 mil indígenas.



Para vocês leitores que estão em dúvida sobre quem será vacinado contra gripe h1n1 em 2010, fique sabendo que a Organização Mundial da Saúde – OMS, recomenda a imunização de trabalhadores de serviços de saúde, indígenas, gestantes e pessoas com doenças crônicas, sendo que no Brasil a vacinação foi ampliada para outros três grupos, sendo crianças de 06 meses a menos de 2 anos de idade e adultos saudáveis de 20 a 29 anos e de 30 a 39 anos de idade.



As fases/etapas da campanha contra gripe h1n1 consistem em realizar a vacinação para certos grupos, organizados pelos responsáveis por cada município, sendo que entre o dia 8 e 19 de Março, onde serão vacinados apenas indígenas e profissionais de saúde, sendo que as etapas serão realizadas de forma organizada para os públicos específicos, fiquem atentos para as datas que serão mencionadas no final da nossa matéria para que vocês sejam devidamente vacinados e imunizados contra o vírus H1N1.



Preparamos para vocês caros leitores, o calendário de vacinação contra gripe a influenza H1N1 2010, segue a lista com as datas para que os grupos de pessoas sejam devidamente imunizados contra o vírus H1N1.



Dia 08 de Março a 19 de Março – Profissionais de Saúde e Indígenas



• Dia 22 de Março a 21 de Maio – Gestantes.



• Dia 22 de Março a 02 de Abril – Doentes Crônicos, exceto idosos e crianças de 06 meses a 02 anos.



• Dia 05 de Abril a 23 de Abril – Jovens de 20 a 29 anos.



• Dia 24 de Abril a 07 de Maio – Idosos com mais de 60 anos com doenças crônicas.



• Dia 10 de Maio a 21 de Maio – Pessoas de 30 a 39 anos.

Os mais comentados

Widget UsuárioCompulsivo

Dissemine idéias, construa o futuro!

Saiba onde tem o melhor preço antes de comprar
Dineromail, para enviar y recibir dinero via e-mail
Compare Produtos, Lojas e Preços

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO